A Grande Montanha

For English, click here

A grande montanha, este foi um dos meus primeiros grandes desafios não somente pelo investimento relativamente grande em material mas também pelos desafios em retratar ao máximo a estrutura geológica das montanhas da schwarzwald.  Assim começou a segunda semana de dezembro de 2017.

Com um custo estimado de R$ 800, 00 eu posterguei ao máximo a sua construção da grande montanha, neste custo estavam inclusos o material para compor a própria montanha e os trilhos para a grande curva composta de trilhos 6 x Minitrix 14918 e 6 x Minitrix 14928. Este trilhos foram cedidos pelo meu grande amigo Nacho Rebollo

Vamos lá …

Mais uma vez a questão custo influenciou bastante e decidi fazer o máximo possível com o material que estivesse disponível.

A estrutura deve ser leve mas ao mesmo tempo resistente. Em uma caminhada pelo condomínio havia casas em reforma e em delas haviam caçambas de entulho, isso mesmo, busquei material em entulho de reforma de casa e comecei a ficar espantado com a quantidade de material que pode ser utilizado ou adaptado. De início encontrei muito isopor e com ele iniciei a construção da estrutura da montanha.

A imagem abaixo mostra o traçado da curva sobre incliners da Woodland Scenics e uma tira de papelão para acomodar as duas vias de trilhos Minitrix 14918 do lado interno da curva e Minitrix 14928 do lado externo da curva:

Para estruturar a montanha comecei com a parte de trás colando placas de isopor cortadas no perfil da montanha. As duas fotos a seguir mostram este processo. As placas foram coladas com cola branca e deixando secar por 24 horas:

Para aumentar a resistência e sustentabilidade das placas traseiras adicionei placas triangulares na base para prover um travamento do movimento horizontal e placas verticais coladas em entre si e nas placas traseiras para impedir o movimento vertical:

img_3123

Os vãos livres entre as placas de isopor e os incliners Woodland Scenics foram preenchidos com folhas de jornal amassadas aleatoriamente e tudo foi coberto com um rolos de fita crepe que ganhei de pintores que estava pintando uma casa:

O próximo passo, a pintura. Para este passo eu também dediquei um bom tempo analisando como fazer, pesquisando as tonalidades de cores da região montanhosa da schwarzwald , técnicas de escultura e pintura em gesso e massa corrida. O You Tube possui vasto material sobre modelagem em gesso e depois de assistir muitos vídeos no You Tube, um vídeo me chamou a atenção: Modellbau Leicht Gemacht no qual o Mestre Bernhard Stein mostra passa a passo a construção de uma enorme maquete em escala H0, todo em alemão mas as imagens e a sequencia de trabalho eram muito intuitivas e definiram o meu processo de trabalho.

Primeiramente eu defini áreas de rochas e áreas de terra na montanha pintando a superfície de fita crepe com as cores cinza (rochas) e marrom (terra).

Em seguida criei as rochas aplicando gesso e moldando através de cortes, para tanto utilizei estiletes e espátulas de odontologista, gentilmente cedidos pela minha esposa que é odontologista. Para modelagem é preciso ter cuidado com a escala das rochas.

Na fase da pintura iniciei com um tom bege (branco + amarelo) diluído em água, 60% de bege em 40% de água e aplicado com pincel esponja: molha-se a esponja do pincel na tinta diluída e toca com média força a superfície do gesso deixando a tinta escorrer pelos cortes das rochas. Como pode-se ver na imagem abaixo, há áreas em branco no qual a tinta não penetrou e assim foi deixado:

img_3061

Após 24 horas e utilizando a mesma técnica diluí 60% de preto em 40% de água para criar o efeito de profundidade nas rochas:

img_3062

Novamente após 24 horas reforcei o preto diluído em algumas regiões para reforçar a ideia de umidade:

Após completa secagem da pintura (24 horas), para finalizar a coloração da rocha e utilizando a mesma técnica apliquei cinza (50% de preto em 50% de branco) diluído em água na proporção de 70% de cinza em 30% de água por toda a superfície mas não me preocupando em preencher toda a superfície:

Aspecto final das rochas na montanha:

Após mais um período de 24 horas para envelhecer a montanha criando o aspecto de desgaste natural utilizei a técnica do pincel seco utilizando tinta branca: coloca-se pouca tinta branca no pincel e tira-se todo o excesso de tinta em uma folha de papel, aplica-se levemente o pincel de forma rápida nas pontas das rochas:

Detalhe do envelhecimento e ensaio com alguma vegetação na encosta:

Após secar a tinta iniciei de fato a aplicação de turf na montanha para criar a vegetação grande parte escura devido às características da região:

Há vegetação no nível da via ferrea também:

Detalhe da vegetação vista do sentido oposto:

Detalhe da vegetação e das rochas com um pouco mais de iluminação mostrando as diversas camadas de pintura e vegetação.

A última imagem de post foi obtida em 18 de dezembro de 2017. Hoje é dia 07 de fevereiro de 2019, estou retomando o registro do projeto no blog e confesso que ainda estou melhorando a vegetação nesta montanha, preciso ainda fazer vários pinheiros para plantar na parte superior da montanha.

Acompanhem também minha página no Facebook.

Sobre Eric Paul

Eric Paul, engenheiro, administrador de empresas, amante de ferromodelismo e arqueiro desde 2009 na categoria recurvo adulto filiado ao Clube Ibirapuera de Arco e Flecha (C.I.A.F.) e a Federeção Paulista de Arco e Flecha.
Esse post foi publicado em Técnicas e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s